Cinco coisas que você precisa saber antes de uma entrevista de emprego

1-competency-based-interview-questions

Como candidato a uma vaga, você já deve ter escutado muitas vezes como é importante pesquisar algumas informações sobre a empresa antes de uma entrevista de emprego. Mas o que exatamente você deve saber? Aqui estão cinco informações importantes para você saber sobre uma empresa antes de chegar para a entrevista.

  1. Informações básicas

Nada é mais constrangedor do que simplesmente não saber coisas básicas sobre o cargo ou a empresa responsável pela vaga. Pode ser difícil de acreditar, mas muitos gerentes de contratação vão dizer que, por vezes, os candidatos não sabem sequer como pronunciar oi nome da empresa. Fatos básicos, como a indústria e o ramo de atividade são cruciais para o seu sucesso na entrevista.

  1. As habilidades que eles querem

Seu principal objetivo em uma entrevista de emprego é convencer o entrevistador de que você é o melhor candidato para a vaga. Para fazer isso, você precisa ter uma boa ideia do que eles considerariam um candidato ideal e destacar as maneiras que você se encaixa neste perfil.

  1. A cultura da empresa

Ser o melhor ajuste vai além de apenas ter as habilidades e experiência necessárias. De fato, um dos maiores benefícios de uma entrevista é o fato de o entrevistador ter a chance usar o feeling para saber se sua personalidade se encaixa com a cultura da empresa. Para saber mais sobre a cultura da empresa, acesse o link “Sobre nós” do site dela e aprenda um pouco mais sobre seus valores para se sair bem na entrevista.

  1. Notícias sobre a empresa

Uma simples busca de notícias na web pode te ajudar a saber mais sobre o momento atual da empresa. Você também deve olhar no site da empresa se existe a sessão “Sala de Imprensa” ou “News”, onde você pode encontrar muitas vezes comunicados de imprensa divulgada pela empresa.

  1. Concorrentes

O que diferencia esta empresa dos seus concorrentes? As empresas muitas vezes querem mostrar o que os torna únicos ou superiores em relação aos outros, por isso, novamente, encontrar esta informação é importante. Pesquise pelos concorrentes da empresa e esteja atento ao que acontece no mercado em que atua a empresa.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

81% dos candidatos querem informações de contato dos recrutadores antes de enviarem o currículo

recruiter-talking-on-phone

Um recente estudo mostrou que a maioria dos candidatos a um emprego observa desde a publicação da vaga o fluxo de comunicação adotado pela empresa. De acordo com os números levantados, 81% dos candidatos gostam quando as informações de contato da pessoa que publicou a vaga sejam exibidas na mesma, enquanto que 72% disseram que buscam conversar com o recrutador ou gerente de contratação antes de enviarem o currículo.

O que isso significa?

Isto significa que os candidatos cada vez mais buscam aumentar o nível de interação com a empresa e seus recrutadores. Isto mostra que profissionais qualificados querem diminuir os riscos de entrarem em uma empresa com a qual não se identificam ou que os objetivos não estejam alinhados.

O novo cenário mostra que a contratação hoje é uma via de mão dupla onde os candidatos também querem ser capazes de fazer perguntas. Quanto maior a comunicação entre recrutador e candidato, maiores as chances de satisfação de ambas as partes.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

Você é um bom pai? Uma boa mãe? Isto pode te ajudar no mercado de trabalho

workingmum

Cada pai, mãe ou dona-de-casa que saiba criar os filhos pode ter isso como um ponto positivo na busca por um emprego. Se são pais recentes, com crianças com menos de um ano de idade, o reconhecimento é ainda maior. É preciso ser um verdadeiro multi-tasking para saber lidar com os primeiros meses de vida dos filhos.

A afirmação acima é baseada em uma recente pesquisa da CareerBuilder que mostrou que 68% dos empregadores acreditam que a habilidade de ser um bom pai/mãe é um valor levado em conta no meio corporativo. A pesquisa ouviu 2.186 gerentes de contratação e de recursos humanos nos Estados Unidos.

De acordo com a pesquisa, profissionais que passam pela experiência de serem pais e conseguem exercer bem este papel desenvolvem habilidades específicas que possuem grande valor no mundo corporativo.

São elas:

  • Paciência (citado por 68% dos gerentes)
  • Multi-tasking (citado por 61% dos gerentes)
  • Gestão de tempo (citado por 57% dos gerentes)
  • Gestão de conflitos (citado por 51% dos gerentes)
  • Resolução de problemas (citado por 50% dos gerentes)

Mantenha sempre seu bom trabalho como pai ou mãe. Além do benefício de ter seus filhos criados da forma que julga correta, você estará aprendendo novas habilidades que poderão ser úteis muito além dos muros da sua casa.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

Escolaridade, faixa etária e salário. Vejo o que mudou no perfil dos profissionais de TI em 4 anos

kpmg-main-art

O que mudou em 4 anos no mercado de TI? É isto que uma série de dados gerados pela base do CEVIU foi capaz de responder. Com um banco com mais de meio milhão de profissionais na área de TI, o CEVIU fez um levantamento mostrando o que mudou de 2012 para 2016.

A começar pela escolaridade, o número de profissionais de TI com nível superior completo aumentou. Se em 2012 eles correspondiam a 55% de nossa base, hoje são 57%. Um crescimento de 2% que também pôde ser observado entre os usuários pós-graduados que antes eram 10% e agora são 12%. Já os profissionais com ensino técnico, ensino médio e Mestrado/Doutorado diminuíram de 21% para 20%, de 11% para 9% e 3% para 2% respectivamente.

No que diz respeito à faixa etária, a mão de obra especializada em TI envelheceu. Se antes a idade predominante de profissionais cadastrados no CEVIU – entre 31 e 40 anos – representava 41%, hoje ela está em 47%. Contribuindo com este crescimento, os profissionais com idades entre 18 e 30 anos diminuíram e hoje representam 38% ante 47% de 2012. Profissionais com menos de 18 anos permanecem como 1% da base enquanto que profissionais com acima dos 41 anos passaram de 11% para 14% da base.

Já em relação ao salário atual dos profissionais de TI, o comparativo entre 2012 e 2016 revelou que entre aqueles que recebem até R$ 1.000, o percentual manteve-se em 1%. Já aqueles que recebem entre R$ 1.001,00 e R$ 3.000,00, o número caiu de 39% para 38%. Queda também entre quem recebe de R$ 3.001,00 a R$ 5.000,00, de 25% para 21%. Porém, os profissionais com salário entre R$ 5.001,00 e R$ 10.000 passou de 23% para 26%. Destaque também para o percentual daqueles que têm salário superior a R$ 10.000,00 que dobrou de 2% para 4%.

 

Trabalhar onde não se é feliz pode trazer sérios riscos à sua saúde

ar_post-2026

É normal você trabalhar e sempre pensar em quanto tempo falta para o final de semana. Afinal, por mais que você ame seu trabalho, é no sábado e no domingo que você tem mais tempo para dedicar ao lazer, descanso etc. Porém, quando o tempo que você passa no trabalho começa a afetar seu bem-estar físico e mental, é sinal que alguma coisa não anda bem.

Todos os dias, milhões de pessoas se levantam para ir ao trabalho. Algumas delas têm sorte de ir para um trabalho que amam, porém outros enfrentam esta rotina como um grande desafio. O resultado é que ao longo do tempo isto poderá causar um grande impacto sobre sua saúde. Conheça alguns deles:

  1. Aumento do risco de doenças

Você se sentiu como se você tivesse mais resfriados do que o habitual no inverno passado? Todo o stress de um trabalho que você odeia pode afetar o seu sistema imunológico. Acrescente a isso a crises repentinas de estresse agudo e é provável que você atinja a nada agradável marca de ter algumas doenças por ano. Além disso, um escritório é prato cheio para a proliferação de doenças, basta lembrar que um teclado pode ter até cinco vezes mais bactérias do que um banheiro por exemplo.

  1. Ganho de peso

Passar horas sentado em uma mesa todos os dias é quase um atestado de que você irá ganhar peso, mesmo se você se exercita.  A impaciência e a ansiedade de quem trabalha em um lugar onde não está feliz, fazem com que você coma mais do que o habitual. Para evitar isso, o ideal é fechar a boca e criar o hábito de se levantar e mover-se durante o expediente.

  1. Envelhecimento precoce

Estudos mostram que doenças crônicas geralmente associadas com a idade aparecem mais cedo em pessoas que estão sobrecarregados e têm dificuldade em separar os problemas do trabalho e da vida pessoal. Além disso, ficar sentado por longos períodos aumenta o risco de doenças cardíacas e câncer. Se você fica de pé muito tempo isto também é um problema já que pode causar problemas nas costas, fadiga e cãibras nas pernas. A dica é mudar de posição sempre que puder.

  1. Depressão e ansiedade

O estresse de estar em um lugar que você odeia por 8-10 horas por dia, cinco ou seis dias por semana, pode tomar um pesadelo para sua saúde mental. Estudos mostraram que níveis elevados de stress podem resultar no aumento da ansiedade e depressão tanto em homens como em mulheres, especialmente quando a tensão é constante.

  1. Asma

Uma coisa que a maioria das pessoas não pensam muito é sobre a qualidade do ar onde trabalham. Especialmente em pequenas empresas, a qualidade do ar pode ser muito baixa. Em escritório, o ar dentro pode realmente ser mais sujo do que o ar exterior, o que pode desencadear em coceira nos olhos, dor de garganta, tonturas, dores de cabeça e até asma. A solução é manter o ar sempre higienizado e se possível trabalhar mais tempo com as janelas abertas.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

Associação das Empresas de TI publica manifesto a respeito de crise política no Brasil

logo_assespro

A Associação das Empresas de Tecnologia da Informação, regional São Paulo, publicou um manifesto cobrando esclarecimentos sobre o cenário político atual do Brasil. Segundo os responsáveis pelo manifesto, as dificuldades econômicas que o país tem vivido tem interferido diretamente no setor.

Confira abaixo o manifesto publicado pela Assespro-SP:

Respeito ao Estado democrático de direito e compromisso com a ética. Pilares para superação da crise política e econômica

O setor de TI e TIC, representado pelas entidades que firmam este manifesto, externam preocupação com a grave crise política e econômica que se abate sobre o País e declaram respeito incondicional ao Estado Democrático de Direito, compromisso com a ética e confiança no Brasil.

As dificuldades econômicas, evidenciadas pela queda do produto interno bruto e persistente alta da inflação, têm cobrado alto preço da população brasileira em termos de desemprego e impacto na renda do trabalhador. A situação fiscal solapa a confiança dos agentes econômicos, inibindo investimentos. Precisamos, urgentemente, trabalhar em prol do aumento da eficiência do Estado brasileiro de modo que o nível e a qualidade dos serviços ao cidadão sejam mantidos, quiçá melhorados, ainda que em face a dotações orçamentárias apertadas. Os produtos e serviços de tecnologia da informação e comunicação são poderosos instrumentos viabilizadores de produtividade e excelência operacional, sendo potencializados pela transformação digital e tecnologias correlatas.

O acirramento da crise política tem acarretado crescente agitação e angústia no seio da sociedade e indesejável letargia – ou mesmo paralisia – em diversas esferas dos três poderes da República. Instamos as lideranças políticas nacionais que busquem, incessantemente, soluções que permitam a superação dos impasses, sempre circunscritas à ordem constitucional e seus desdobres no âmbito do direito. Se faz, também, mister perseverar na investigação e persecução penal de todos os que incorreram em condutas delituosas causando danos ao Estado, nos limites legais pertinentes. Urge, porém, fazê-lo com celeridade, para que alcancemos um patamar de estabilidade que possibilite um mínimo de governabilidade.

A rigorosa observância das leis e a ciosa conduta ética devem ser balizadoras no trato dos interesses público e privado. É a partir do exercício são, efetivo e dinâmico desta confluência que logramos construir uma grande nação, com perene protagonismo mundial e justiça social.

Esta manifestação conjunta é consistente com o perfil neutro e apartidário das entidades representadas e com sua atuação em prol do setor de TI e TIC e do melhor interesse do País.

Somos todos pelo Brasil!

61% dos profissionais dizem que a falta de sono afeta negativamente o seu trabalho

1

Você já reparou que alguns dos seus colegas de trabalho aparecem com notáveis olheiras? Ou observou alguns deles quase dormindo durante uma reunião? Provavelmente sim. E isto tem uma explicação.

De acordo com uma nova pesquisa da CareerBuilder, quase 3 em 5 trabalhadores sentem que não dormem o suficiente e 44% dizem que pensam no trabalho ao se deitarem para dormir. Além disso, 61% dizem que a falta de sono tem impactado diretamente no rendimento do trabalho.

As noites mal dormidas foram citadas como responsáveis por outras consequências de acordo com os profissionais entrevistados:

  • Elas fazem o dia passar mais lento: 30%
  • Desmotivam: 27%
  • Afetam a produtividade: 24%
  • Afetam meu relacionamento com os colegas de trabalho: 13%
  • Afetam a memória: 17%
  • Faz com que as tarefas levem mais tempo para serem concluídas: 13%
  • Aumenta as chances de cometer erros: 13%

Como evitar isso

De acordo com Rosemary Haefner, diretora de recursos humanos da CareerBuilder, “Nós vemos cada vez mais e mais trabalhadores passando mais tempo no escritório e até mesmo trabalhando quando estão doentes. É importante ter o tempo de descanso, de desligamento do trabalho. As empresas estão começando a valorizar os profissionais que conseguem equilibrar de forma saudável o trabalho com as horas de descanso. ”

Haefner diz que com isso, as organizações estão começando a oferecer aos empregados “regalias” como salas para descanso nas dependências da empresa e horários de trabalho mais flexíveis.

Dedicar-se ao trabalho é fundamental. Porém, é preciso saber que sem saúde e bem-estar, você não será capaz de oferecer o melhor que pode às tarefas do dia-a-dia.

Fonte: CareerBuilder
Autor: Salgado / CEVIU

Cresce o número de brasileiros que sonham em abrir o próprio negócio

Na TV, nos jornais, no rádio ou na internet, não importa o meio, crise é a palavra do momento. O problema é que esta pequena palavra de 5 letras traz consigo uma infinidade de outras indesejáveis expressões como desemprego, inflação, juros altos, desaceleração da economia, etc. É diante deste cenário que vemos a necessidade de nos reinventarmos para não sofrermos tanto com as consequências deste período.

Entre tantas consequências de um momento de crise, talvez o que mais assuste seja o desemprego. Se com o salário garantido no final do mês as contas já andam apertadas, sem ele a situação fica ainda pior. Em um mercado tradicionalmente concorrido e agora ainda com menos vagas, como se dar bem na busca por um emprego? Para muitos brasileiros a saída tem sido investir no próprio negócio.

De acordo com uma pesquisa feita pela “Global Entrepreneurship Monitor”, atualmente 34 em cada 100 brasileiros possuem empresa ou estão abrindo seu próprio negócio. Há 10 anos atrás, eram 23. Para se ter ideia de como os brasileiros têm sonhado com isso, uma pesquisa do SEBRAE revelou que o número de pessoas que sonham em abrir o próprio negócio ultrapassou o daqueles que querem ter um plano de saúde, os que querem um diploma de curso superior e os que almejam uma carreira de sucesso dentro de uma empresa. Soma-se a isso o crescente número de demissões no país, o que faz com que para muitos a saída seja o empreendedorismo.

A tão falada crise ainda não deu indícios do seu enfraquecimento, o que mantem no ar um constante clima de preocupação com o dia de amanhã. Diante deste cenário, talvez seja a hora de você começar a pensar que ter o próprio negócio pode ser uma boa. Reflita, analise, estude. Mesmo que você esteja empregado, talvez o seu grande talento profissional seja empreender. Pense nisso.

O SEBRAE possui cursos e planilhas para auxiliar quem deseja abrir o próprio negócio. Veja a lista do que você precisa saber antes de começar seu empreendimento:

  1. Saiba que negócio abrir
  2. Veja se você tem perfil
  3. Reúna informações sobre o negócio
  4. Organize-se
  5. Descubra se o negócio é viável
  6. Coloque a mão na massa

Já se você tem certeza de que sua carreira está no rumo certo, talvez seja hora de encontrar um emprego melhor: http://goo.gl/PkdZl7


Autor: Salgado / CEVIU

Maior desafio dos líderes nos dias de hoje está ligado à capacidade de execução

O conceito de liderança muda constantemente em função de novos paradigmas que vão surgindo. Para Stephen Covey, autor de livros como “Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes” e do “Oitavo Hábito”, “liderar é comunicar o valor e o potencial das pessoas tão claramente que elas mesmas possam vê-los em si”. A partir dessa perspectiva, muito se discute sobre os maiores desafios dos líderes nos dias de hoje.

Para o consultor da FranklinCovey Brasil e professor do MBA Executivo em Liderança e Gestão Empresarial do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG ), Bill Moraes, o maior desafio dos líderes nos dias de hoje, principalmente em período de crise, é gerar resultados. Com base em pesquisas realizadas em mais de 150 países, em mais de duas mil empresas e com mais de 300 mil pessoas, a FranklinCovey percebeu que os resultados ocorrem em função de duas variáveis: coisas que líder e organização podem controlar e coisas que líder e organização não podem controlar, como a economia, o mercado, a concorrência e falta de clientes.

Bill Moraes explica que a eficácia da liderança está justamente em atuar nas coisas que podem ser controladas. “Basicamente, existem somente duas coisas que um líder pode controlar. A primeira, é montar um plano ou estratégia, e, segundo, é executar esse plano. O maior desafio dos líderes hoje está exatamente em executar um plano, o que requer que mais de 90% da organização que ele lidera persigam e executem essa estratégia, alcançando resultados na organização”, afirma.

 

Fonte: IPOG

http://www.ipog.edu.br

ONG abre mil vagas gratuitas para cursos de capacitação em TI

O IOS, Instituto da Oportunidade Social está com mil vagas abertas em cursos gratuitos de capacitação em TI para as unidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina. As oportunidades são destinadas à jovens e pessoas portadoras de algum tipo de deficiência.

Os cursos abordam diversas modalidades, dando inclusive a chance de conseguir certificação Microsoft. Em alguns deles o aluno pode escolher entre o curso presencial ou semipresencial. As inscrições podem ser feitas até o amanhã através do site http://ios.org.br/

Autor: Salgado / CEVIU

Segundo Associação Brasileira de Empresas de TI, 50 mil vagas no setor esperam por profissionais qualificados

vagas

Esta não é a primeira publicação no CEVIU blog sobre o bom momento vivido pelo setor de TI no Brasil. Provavelmente, também não será menos polêmica do que a última sobre o tema “Em meio à crise, setor de TI é o que mais contrata“. Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, o mercado de trabalho hoje está com 50 mil vagas abertas na área. Além disso, o setor cresce a cada ano e atualmente emprega 1.3 milhão de pessoas. Segundo previsões da Associação, estima-se que nos próximos 4 anos, o mercado vai precisar de 750 mil profissionais de TI, o que ilustra o bom momento vivido pelos profissionais mesmo em tempos de retração da economia e corte de postos de trabalho.

O argumento dos empregadores para a quantidade de vagas abertas está na qualificação. Segundo eles, o mercado carece de mão de obra qualificada, o que faz com que profissionais especializados tenham grande oferta de vagas e salários acima da média. Em contrapartida, os profissionais do setor reclamam que muito é exigido e pouco oferecido. Os salários não condizem com as especializações requisitadas e as responsabilidades dos cargos.

E aí, quem está com a razão?

Para encontrar algumas das vagas abertas citadas no texto, acesse: http://goo.gl/hOAjUr

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: G1

Pesquisa mostra os fatores mais relevantes para a geração Y ao procurar emprego

Um bom cargo e um salário satisfatório são os pontos mais relevantes para a maioria dos profissionais. Porém, não é o que se reflete na tão falada “geração Y”. Pelo menos é o que mostrou uma pesquisa da Page Personnel, empresa de recrutamento pertencente ao PageGroup.

De acordo com Ricardo Haag, diretor da Page Personnel, a geração Y leva em conta outros fatores, além de cargo e salário. Plano de carreira, benefícios diversificados e horário flexível estão entre os principais fatores observados pelos profissionais desta geração. Para chegar a esta conclusão, a Page Personnel entrevistou entre julho e outubro de 2015 cerca de 2 mil profissionais. O resultado você confere agora.

Lista de fatores mais atrativos para a geração Y ao buscar um emprego:

  1. Plano de carreira bem estruturado – 66%
  2. Pacote de benefícios diverso – 57%
  3. Horários flexíveis de trabalho – 37%
  4. Reputação positiva da companhia – 33%
  5. Habilidade de oferecer desafios constantes – 29%
  6. Transparência na avaliação de resultados – 25%
  7. Possibilidade de job rotation/ gestão de projetos – 20%
  8. Habilidade da companhia se renovar e ser bem sucedida – 20%
  9. Empresa com programas de responsabilidade social – 5%
  10. Empresas com programas consolidados de sustentabilidade – 4%

Em busca de oportunidades em algumas das melhores empresas do Brasil? Acesse: http://goo.gl/aY6cfF

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: G1

 

IMA – Informática de Municípios Associados lança edital de concurso público com salários de até R$ 4,6 mil

concurso-publico-022

O IMA – Informática de Municípios Associados S/A lançou edital com 10 vagas para concurso público para a cidade de Campinas com salários de até R$ 4,6 mil.

As vagas são para nível médio, técnico e superior, divididos em 2 editais. Para nível superior, os cargos são para Analista de Tecnologia da Informação Jr., com função de Sistemas. O salário oferecido é de R$ 4.689,18. Para técnico, as vagas são para Técnico em Tecnologia da Informação, nas funções de Telecomunicações, Teleatendimento, Atendimento Usuário e Desenvolvimento, com salários entre  R$ 1.735,07 e R$ 2.313,43. Já para nível médio, as oportunidades são para Assistente I, com função de Atendimento e Informações.

As inscrições vão até o dia 1º de março através do site: http://www.shdias.com.br/

Se você está em busca de vagas de TI, acesse: http://goo.gl/IIoRZt

Autor: Salgado / CEVIU

Lista: os 10 brasileiros mais influentes do LinkedIn

Abilio

Como faz todos os anos, o LinkedIn listou os maiores “influenciadores” da rede social. Trata-se de uma lista com nomes de peso no mundo dos negócios que tenha escrito artigos com grande relevância na rede social.

Entre os eleitos, encontram-se 34 brasileiros. A EXAME.com teve acesso aos 10 mais bem colocados no ranking. Confira a lista e o link para o perfil de cada um no LinkedIn:

 

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: Exame.com

Sem sucesso na sua busca por um novo emprego? Saiba como melhorar seu desempenho e encontrar o emprego certo

GetbackjobsearchMojo

Semana após semana, o telefone não toca e seu e-mail não é retornado. Não é exatamente a situação que você esperava dos empregadores quando você começou sua busca por um novo trabalho, correto?

A boa notícia é que profissionais qualificados sempre estão com alta demanda no mercado. Ainda assim, conseguir o emprego certo requer diligência e paciência. Supondo que você tenha a maioria das competências exigidas nas vagas de trabalho que está se candidatando, ainda assim, pode haver uma série de razões que justifiquem o fato de você não ter sido chamado para uma entrevista ainda.

Confira agora quatro dicas para que sua busca por um novo emprego comece a gerar os resultados que você deseja.

  1. Foque nos verdadeiros tomadores de decisão

Nem sempre é possível entrar em contato com que realmente toma as decisões no processo de contratação de uma empresa, mas se você está realmente interessado em uma posição e não se contentar com o envio de seu currículo, esta é uma boa opção. Se o nome do tomador de decisão não estiver descrito na vaga, você pode recorrer às redes sociais em busca desta informação. Algumas pesquisas on-line simples podem revelar o nome e e-mail do gerente de contratação ou a pessoa responsável por esta função. O contato direto com esta pessoa pode ajudá-lo no processo.

  1. Personalize seu currículo e carta de apresentação

No mundo dos currículos, tamanho não quer dizer nada. Cartas de apresentação clichê muito menos. Fique atento aos detalhes descritos no anúncio de emprego e use algumas das mesmas palavras em seu CV e carta de apresentação. Também não deixe de realçar quaisquer competências não especificadas mas que fariam de você um bom candidato ainda mais adequado ao cargo.

  1. Acompanhamento

Alguns candidatos ficam preocupados se as dicas acima pode parecer agressivas do ponto de vista dos recrutadores. Porém, isto não costuma acontecer. De acordo coma consultoria Robert Half, uma pesquisa feita com empregadores mostrou que eles incentivam os candidatos a se mostrarem interessados pela vaga através de contato telefônico ou email para saber sobre o processo de contratação. Claro que o bom senso deve prevalecer e o candidato precisa estabelecer a diferença entre se mostrar interessado e ser inconveniente.

  1. Certifique-se de que você tem uma boa reputação online

Da mesma forma que a internet e as redes sociais podem ser positivas na sua busca por um novo emprego, elas também podem mostrar um lado que entrevistas e currículos não mostram. Lembre-se que é fácil para um potencial empregador encontrar todos os seus perfis no Facebook, Twitter, Instagram e visualizar suas atividades. A maioria dos gerentes de contratação vai realizar pelo menos uma pesquisa rápida na Internet para ver o que mais eles podem aprender sobre você, seus interesses e o que as pessoas que você conhece estão dizendo a seu respeito. Fique atento a isto.

Uma palavra final

Não leve a falta de respostas tão a sério. Às vezes, outros candidatos simplesmente têm mais experiência ou conhecimentos específicos do que você, o que lhes da certa vantagem.

Se você sabe que está tomando todas as medidas certas na sua busca e tem uma experiência de trabalho sólida, provavelmente seja apenas uma questão de tempo para você encontrar o trabalho certo para sua carreira.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder