Cinco coisas que você precisa saber antes de uma entrevista de emprego

1-competency-based-interview-questions

Como candidato a uma vaga, você já deve ter escutado muitas vezes como é importante pesquisar algumas informações sobre a empresa antes de uma entrevista de emprego. Mas o que exatamente você deve saber? Aqui estão cinco informações importantes para você saber sobre uma empresa antes de chegar para a entrevista.

  1. Informações básicas

Nada é mais constrangedor do que simplesmente não saber coisas básicas sobre o cargo ou a empresa responsável pela vaga. Pode ser difícil de acreditar, mas muitos gerentes de contratação vão dizer que, por vezes, os candidatos não sabem sequer como pronunciar oi nome da empresa. Fatos básicos, como a indústria e o ramo de atividade são cruciais para o seu sucesso na entrevista.

  1. As habilidades que eles querem

Seu principal objetivo em uma entrevista de emprego é convencer o entrevistador de que você é o melhor candidato para a vaga. Para fazer isso, você precisa ter uma boa ideia do que eles considerariam um candidato ideal e destacar as maneiras que você se encaixa neste perfil.

  1. A cultura da empresa

Ser o melhor ajuste vai além de apenas ter as habilidades e experiência necessárias. De fato, um dos maiores benefícios de uma entrevista é o fato de o entrevistador ter a chance usar o feeling para saber se sua personalidade se encaixa com a cultura da empresa. Para saber mais sobre a cultura da empresa, acesse o link “Sobre nós” do site dela e aprenda um pouco mais sobre seus valores para se sair bem na entrevista.

  1. Notícias sobre a empresa

Uma simples busca de notícias na web pode te ajudar a saber mais sobre o momento atual da empresa. Você também deve olhar no site da empresa se existe a sessão “Sala de Imprensa” ou “News”, onde você pode encontrar muitas vezes comunicados de imprensa divulgada pela empresa.

  1. Concorrentes

O que diferencia esta empresa dos seus concorrentes? As empresas muitas vezes querem mostrar o que os torna únicos ou superiores em relação aos outros, por isso, novamente, encontrar esta informação é importante. Pesquise pelos concorrentes da empresa e esteja atento ao que acontece no mercado em que atua a empresa.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

Quando e como falar sobre salários durante uma entrevista de emprego

Discutir o salário durante uma entrevista de emprego não é das tarefas mais fáceis. Você não quer parecer um mercenário ganancioso, mas também não quer ser pego de surpresa por uma oferta menor do que deseja.

Então como fazer?

Embora cada situação seja diferente, a resposta pode variar um pouco dependendo de suas circunstâncias (o tipo de empresa, o nível que você está, etc.). Conheça algumas dicas para tratar  do assunto quando participar de um processo seletivo.

Tempo certo

O principal problema de tocar no assunto salário no processo de contratação é que ele pode fazer com que você passe uma impressão errada, como de um profissional que está mais interessado do que vai lucrar do que em como irá contribuir.

“O objetivo em uma entrevista é convencer a empresa que você é a melhor pessoa para o trabalho”, diz Susan Pimenta, coach de carreirsa baseada em Boston e CEO da empresa de coaching Partners. “Ao abordar o salário antes que ele seja mencionado pelo recrutador, o candidato a emprego corre o risco de fazer do dinheiro o ponto focal da conversa ao invés de suas contribuições e perfil para a vaga.”

É por isso que a maioria dos especialistas em carreira dizem para esperar até que você tenha uma oferta, ou pelo menos fortes sinais de que a vaga será sua antes de abordar o assunto. Para efeito, Pimenta diz que o assunto não deve ser mencionado até que perguntas como “Quando você está pronto para começar?” ou “Você pode fornecer referências?” sejam feitas pelo entrevistador.

“A melhor maneira de fazer a pergunta é dizer algo como, ‘Eu estou muito interessado e animado sobre a oportunidade e tenho certeza de que vou ser capaz de atender aos desafios propostos. Em relação à parte financeira, quais as condições?”, diz Pimenta.

Deixe o empregador fazer a pergunta

Se não tiver certeza sobre quando ou como perguntar sobre o salário, é melhor deixar o empregador tocar no assunto. No entanto, como a coach Cheryl Palmer aponta, isso não significa que você deve ser totalmente passivo sobre o tema.

“O candidato deve estar preparado para a conversa sobre o salário porque o empregador pode ser bem direto em relação ao tema durante a entrevista”, diz Palmer. “É bastante comum para os recrutadores perguntar quais as exigências salariais dos candidatos. Esta é uma forma de triagem de candidatos, para saber aqueles que estão em linha com o que a empresa está disposta a pagar.”

Tenha em mente quanto você quer ganhar

Quando o tema salário entra na conversa, tenha na ponta da língua quanto você deseja ganhar e também o quanto você pode diminuir neste montante para aceitar o cargo. É possível determinar esse valo através de uma pesquisa salarial da área que você atua.

Saiba seu valor

Independentemente de quem traz à tona salário, ou quando isso acontece, você deve saber o que você vale a pena para que você possa estar preparado para defender o seu salário desejado entrar em negociações. “Compreender o seu valor irá ajudá-lo a entrar em negociações com uma perspectiva realista”, diz Frank Gentile, diretor do Grupo Staffing Professional.

Autor: Salgado / CEVIU
Fonte: CareerBuilder

Saiba como se comportar nas redes sociais e não cometer gafes que possam prejudica sua carreira

redes-sociales
Imaturidade. Esta é a palavra que melhor explica o comportamento dos internautas brasileiros quando o assunto é imagem profissional na internet. Pelo menos é o que diz o especialista em recrutamentos Marcelo Olivieri. Para ele, a má postura online faz com que muitos profissionais coloquem em risco algumas oportunidades para a carreira.

Para que isto não aconteça com você, veja algumas dicas de gafes constantemente cometidas por profissionais na internet

Entenda o que é o LinkedIn

Fique atento ao que publica e como se comporta no LinkedIn. Dificilmente a mesma foto que você tem no perfil no Facebook, Twitter ou Instagram poderá ser usada no LinkedIn. Procure ter um perfil formal e a escolha da foto adequada é o primeiro passo para isto.

O WhatsApp não é uma boa opção

Apesar de toda a facilidade que a comunicação pelo aplicativo de mensagens instantâneas mais popular do mundo proporciona, ao entrar em contato com alguém responsável por sua recolocação, evite-o. Mesmo com sua popularidade, o WahtsApp ainda é um meio muito informal para alguns tipos de comunicação. Dê preferência ao email.

Sua conduta no Facebook pode pesar

Apesar do LinkedIn ser a rede social mais relevante para profissionais de contratação e de RH, o Facebook também pode ser levado em conta pelos recrutadores. Por conta disso, ajuste as configurações de privacidade de sua conta de forma que somente seus amigos possam ver suas publicações.

Cuidado com o que você diz sobre sua empresa

Falar sobre o lugar que trabalhamos é complicado. Ao mesmo tempo que devemos como colaboradores vender a imagem de uma boa empresa, às vezes temos algumas lamentações e frustações. Tome cuidado em com quem e como você falará sobre estes temas. O email da empresa por exemplo, definitivamente não é uma boa opção.

Serviços de chat online

A não ser que seja uma recomendação da empresa, seja prudente ao utilizar serviços e softwares de chat online, como o Google Hangouts ou Skype. Por mais que você saiba conciliar o uso destas ferramentas com seu trabalho, estar sempre com a janela de chat aberta em sua tela prejudica sua imagem.

A internet é boa mas não é a melhor forma de comunicação

Para Olivieri, mesmo com tantos benefícios, a internet ainda não é capaz de transmitir algumas coisas que a comunicação real é capaz, como o tom, por exemplo. Por conta disso, limite suas mensagens online e sempre que puder e for prudente, vá até o receptor da sua mensagem. Isto minimiza os riscos de ruídos e de má interpretação do que foi dito.

Fonte: Exame
Autor: Salgado / CEVIU

As melhores e as piores palavras para ter em seu currículo

currículoOs empregadores não querem simplesmente saber o que você pensa sobre si mesmo; eles querem ver resultados. Você se considera um bom profissional? Alguém que gosta de pensar fora da caixa? Então você precisa rever  seu currículo o mais rápido possível.

Uma pesquisa recente da  CareerBuilder revelou quais as palavras que gestores e profissionais de recursos humanos não gostariam de encontrar em seu currículo. Se você se considera uma pessoa que gosta de trabalhar em equipe ou um estrategista, algumas mudanças podem ser necessárias antes de enviar seu currículo para alguém.

Pense duas vezes antes de colocar qualquer uma dessas palavras vazias em seu currículo – elas podem não surtir o efeito que você espera:

  • Melhor momento: 38%
  • Proativo: 27%
  • Pense fora da caixa: 26%
  • Sinergia: 22%
  • Pessoa de decisão: 22 %
  • Liderança: 16%
  • Agregar valor: 16%
  • Baseada em resultados: 16%
  • Jogador de equipe: 15%
  • Pessoa de conclusão: 14%
  • Trabalhado duro: 13%
  • Pensador estratégico: 12%
  • Dinâmica: 12%
  • Auto motivado: 12%
  • Detalhista: 11%
  • Proativamente: 11%
  • Histórico: 10%

Você não tem muito tempo

Sessenta e oito por cento dos gerentes recursos humanos vão gastar 2 minutos ou menos na leitura de cada currículo que recebem; 17 % vão realmente gastar 30 segundos ou menos.

“Os gerentes preferem palavras fortes da ação que podem ser usados ​​para definir experiência, habilidades e realizações”, diz Rosemary Haefner, vice-presidente de recursos humanos da CareerBuilder. “Termos e clichés subjetivos são vistos como pontos negativos já que não transmitem informações reais.”

As palavras que eles realmente querem ver

Os termos a seguir – a maioria verbos – devem ajudá-lo a reorientar o seu currículo para o que realmente importa.

  • Alcançados: 52 %
  • Melhor: 48%
  • Treinado / mentor: 47%
  • Dirigido: 44%
  • Criado: 43%
  • Aberto: 40%
  • Ofereceu-se: 35%
  • Influenciado: 29%
  • Aumento / diminuição: de 28%
  • Ideias: 27%
  • Negociação: 25%
  • Lançado: 24%
  • Receita / lucros: 23%
  • Sob orçamento: 16%
  • Ganhou: 13%

Destacar suas realizações e vender o quão importante são suas habilidades . Se você tem honras ou prêmios recebidos, certifique-se de encontrar espaço para eles. Tudo isto certamente ajudará a ter cada vez mais sucesso em sua carreira.

Fonte: CareerBuilder

Como ter um perfil profissional nas redes sociais

Untitled-1Recentemente o CEVIU publicou um post sobre como as pessoas que não possuem perfil em redes sociais têm menos chances de serem chamadas para uma entrevista de emprego. Mas não basta apenas ter um perfil se ele não destaca nenhuma das suas características profissionais. Vamos dar algumas dicas de como fazer isso e usar o poder das redes sociais para aumentar suas chances no mercado profissional.

Antes informamos que não queremos doutrinar ou dizer como uma pessoa deve se comportar nas redes sociais. O objetivo aqui é apenas de ajudar aqueles que querem uma força para melhorar suas chances no mercado. Também lembramos que não basta ter perfis impecáveis nas redes sociais para ser contratado. Seu perfil profissional, sua formação e experiência são fundamentais num processo seletivo. E também que, da mesma forma que numa entrevista, não adianta mentir, pois será prejudicado posteriormente.

O que um entrevistador procura?

A primeira coisa a fazer é pensar como um profissional de RH que é responsável pelas entrevistas e contratações. Num processo com vários potenciais candidatos ele não quer perder tempo e dará prioridade àqueles que souberam mostrar suas principais características logo de cara. Assim, imagine que você tem dois minutos para chamar a atenção de alguém. Olhando rapidamente para seu perfil será que isso é possível?

Independente da sua resposta confira nossas dicas para destacar as informações mais importantes de seu perfil.

Fotos – É a primeira coisa que será vista então não passe uma impressão ruim. Mesmo que seja um recorte utilize fotos de qualidade. Não é necessário utilizar a mesma foto em todos os seus perfis, até porque as redes sociais têm objetivos diferentes.

Facebook e Twitter são algumas das redes que oferecem a opção de ter uma cover ou foto de capa para seu perfil. Nestes casos tem mais liberdade e pode ser mais criativo. Uma dica é procurar em diretórios ou banco de imagens por fotos legais e que tenham relação com sua área. Os temas são vários como esportes, geek, filmes, músicas, etc. Sempre lembrando do bom senso na hora de escolher.

Bio – Comece pelo básico e informe sua cidade corretamente. Depois crie um pequeno texto de apresentação que seja simples, claro e com informações relevantes sobre você, principalmente seus interesses profissionais. Evite frases em inglês, letras de músicas ou o canto da torcida do seu time, por mais que seu inglês seja fluente, você curta algum artista ou seja um torcedor apaixonado. Não há problema em citar sua religião, mas se quiser dar um toque pessoal é melhor falar da sua família, que terá um impacto ainda maior!

Postagens – A quantidade e velocidade de postagens não fará diferença para quem está analisando seu perfil para um emprego. Mas as curtidas ou engajamento em suas publicações são uma forma de mostrar que é uma pessoa interessante. Assim, procure postar só assuntos legais e evite ser chato ao ponto de aborrecer pessoas. Se for postar sobre futebol, por exemplo, se limite ao seu time e não ofenda torcedores adversários para evitar discussões.

Dica – Não é todo mundo que tem ‘conteúdo’ para postar diariamente coisas interessantes. Não deixe de seguir fontes relevantes à sua área profissional, além de participar de grupos relacionados. Ser ativo nas redes sociais e compartilhar estes interesses com certeza fará você se destacar e até ganhar seguidores.

Mesmo que não ache muito interessante, não deixe de criar um perfil no LinkedIn, pois se trata de uma rede social profissional voltada principalmente para networking, carreira, etc.

Por fim, não se trata exatamente de certo ou errado. A questão é ter bom senso sobre o que vai postar e como mantém seu perfil. Uma foto na piscina com a sua família é legal; já uma foto da ‘festa da piscina’ com os amigos pode não ser interessante. O mesmo vale para fotos com bebidas. É assim, você tem que pensar duas vezes antes de postar, mas se teve que pensar por mais de uma vez é provável que não seja legal! 😉

E então, gostou de nossas dicas sobre como ter um perfil profissional nas redes sociais? Não é muito difícil não é mesmo? Pois não precisa disfarçar o que curte e seus hobbys, apenas deve ter atenção para destacar seus pontos positivos.

Caso venha a ser contratado, não é toda empresa que possui uma estratégia de mídias sociais e define como deve ser o uso das redes sociais pelos funcionários, durante e após o expediente, mas se seguir os passos acima é provável que não tenha problemas.

Autor: Leonardo de Souza / CEVIU

Confira 6 dicas para fazer com que seu currículo chame a atenção dos recrutadores

CEVIU-palavras-que-nao-devem-estar-no-curriculoUm dos maiores temores dos candidatos a uma vaga de emprego é a concorrência. Não só no sentido de concorrer com outros profissionais capacitados, mas também em relação à pilha de currículos que as empresas recebem. A pergunta que a maioria se faz é: “Será que vão ler meu currículo?”.

Uma das formas de aumentar as chances de tornar seu currículo mais atrativo para os recrutadores é saber quais os pontos principais observados por eles. E para descobri-los, o diretor de recrutamento Paulo Dias levantou seis pontos principais que os recrutadores mais observam em um currículo.

Confira:

1- Momento da carreira

Apesar de experiências passadas serem importantes, o que mais salta aos olhos dos recrutadores é o memento atual na carreira do profissional. Portanto, o seu cargo atual, ou o último cargo ocupado deve sempre estar destacado em seu currículo.

2- Apresentação

Um currículo bem dividido, sem erros de português e bem formatado fazem grande diferença na “pré-análise” que os recrutadores fazem. Ficar atento à organização é muito importante para um bom desempenho no processo seletivo.

3- Nomes importantes

Ao abordar sua formação acadêmica, dê maior destaque aquelas de maior renome no mercado. O mesmo vale para a experiência profissional. Segundo Paulo Dias, isto sempre chama a atenção dos recrutadores.

4- Estabilidade

Profissionais que pulam de emprego para emprego tendem a serem preteridos em relação aos que conseguiram estabilidade em sua experiência profissional.

5- Localização

Apesar de não ser um critério para eliminar candidatos, a localização geográfica do profissional pode pesar a seu favor. Muitas contratações levam em conta o endereço residencial do candidato. Principalmente em grandes metrópoles.

6- Palavras-chave

Fique atento às palavras chaves que você usa em seu currículo. Em uma rápida leitura, os recrutadores procuram por palavras-chave que liguem as qualificações do profissional às especificações da vaga. Se puder, adeque seu currículo sempre que concorrer a uma vaga.

Além das dicas acima, no CEVIU você também conta com opções que podem tornar seu currículo ainda mais atrativo para as empresas:

Melhorar a alimentação no trabalho faz bem para a saúde e aumenta sua produtividade

comida2-CEVIUNutrição adequada é fundamental para um desempenho ideal em todos os aspectos da vida diária, incluindo o trabalho.

Se você trabalha 8 horas por dia, provavelmente se alimenta ou já se alimentou de almoços e lanches gordurosos e com excesso de carboidratos, como massas, sanduíches carregados com queijo e maionese, ou às vezes produtos industrializados como biscoitos, chips, refrigerantes e tantos outros. Alguns escritórios chegam a oferecer alimentos estimulantes como refrigerante e café, mas dificilmente você encontrará algum que disponibilize aos empregados uma vitamina ou suco natural.

Na contramão da praticidade que estes alimentos proporcionam para nós, eles são altamente prejudiciais à saúde se consumidos frequentemente.

Estudos comprovam que se você comer de forma saudável durante a jornada de trabalho, você pode aumentar o seu foco e sua energia nas tarefas diárias. Para que você não se torne refém deste tipo de alimentação, separamos algumas dicas de Kaitlin Louie, consultora em alimentação e autora do livro “Juice Fasting: Reboot Your Body” que podem ajudá-lo a vencer os vícios que a “comida fácil” traz:

Coma vegetais de folhas verdes. Vegetais de folhas verdes são alguns dos alimentos mais saudáveis ​​que você pode comer. Eles ajudam a retardar a digestão de carboidratos ricos em amido – tanto refinados e não refinados. Quando a digestão desses carboidratos é retardada, que seu cérebro e os músculos podem usá-los mais facilmente como energia, e seu corpo não precisa liberar muita insulina para armazenar o excesso de glicose que circula em sua corrente sanguínea. Além disso, verduras contêm compostos que podem desempenhar um papel importante na luta contra diversos tipos de câncer, aumentando o seu estado de espírito e protegendo contra várias doenças, tais como doenças cardíacas e diabetes.

Obtenha ferro suficiente. O ferro é essencial para a energia, uma vez que é um componente principal de hemoglobina, a proteína que transporta o oxigênio no interior das células vermelhas do sangue para diferentes partes do corpo. A deficiência de ferro tem sido associada à diminuição da função cognitiva em adultos e crianças. Em vez de tomar suplementos, tente adicionar mais alimentos ricos em ferro em sua dieta, como carne magra, carne de frango, feijão, legumes e vegetais verdes escuros.

Coma gorduras saudáveis​. De acordo com o Los Angeles Times, ácidos graxos como o ômega-3  são essenciais para bom funcionamento do cérebro e regulação do humor. Segundo a revista Health, deficiências em ômega-3 podem contribuir para a prevalência de casos de depressão. O ômega-3 pode ser encontrado em alimentos como peixes, sementes de linhaça ou nozes.

Não exagere na cafeína. Enquanto pequenas quantidades de cafeína podem aumentar o seu estado de alerta e o metabolismo, ele também pode aumentar a sua agressividade, de acordo com matéria publicada na revista Forbes. Além disso, um estudo da Johns Hopkins Medical School – EUA, descobriu que o aumento do desempenho cognitivo experimentado após o consumo de cafeína é geralmente uma ilusão. Em outras palavras, tomar café em excesso não vai fazer com que você produza mais em seu trabalho.

Este artigo é uma adaptação da versão publicada no blog da CareerBuilder, grupo do qual o Portal CEVIU faz parte.

Conheça os hábitos que contribuíram para o sucesso de algumas das pessoas mais bem sucedidas da história

Hábitos sucessoSteve Jobs, Benjamin Franklin… Alguma das mentes mais brilhantes que já passaram pela Terra tinham hábitos bem específicos durante suas manhãs. De acordo com um estudo, os primeiros momentos do dia são aqueles onde você tem maior foco e racionalidade para pensar e definir metas a serem alcançadas.

Pensando nisso, o site fastcompany elaborou uma lista com os hábitos matinais de algumas das pessoas mais bem sucedidas do mundo. Saiba quais são e tome-os como exemplo.

Confira:

Steve Jobs: a mente brilhante que fez da Apple a marca mais valiosa do mundo dizia que todos os dias ao acordar se perguntava: “Se este fosse o último dia da vida, eu estaria satisfeito com o que vou fazer hoje?”

Benjamin Franklin: um dos principais nomes da história dos Estados Unidos, ao acordar entre 5h e 7h da manhã, louvava a Deus, tomava banho, café da manhã e dizia: “Que bem devo fazer neste dia?”

Margareth Thatcher: conhecida como dama de ferro, a ex-primeira ministra do Reino Unido acordava pontualmente as 5 da manhã para ouvir um programa sobre alimentação e o campo.

David Karp: ele fundou o Tumblr e todas as manhãs vai a pé para o trabalho. Chegando lá ele lê os emais somente da namorada e dos amigos para então começar a ler os de trabalho.

E você, já criou um hábito do que faz quando acorda?

Autor:  Salgado / CEVIU

Sua carreira em TI – CERTIFICAÇÕES BANCO DE DADOS

O blog CertificacaoBD tem a intenção de ser o maior portal especializado em certificações de banco de dados do Brasil.
Tudo sobre as certificações em diversos SGBDs. Provas necessárias para cada certificação, conteúdo de cada prova, valores, número de questões, tempo disponível de realização da prova, e muitas outras informações.
Na DBArea tem vários artigos extra-certificação onde profissionais de outros SGBD’s também podem desfrutar de diversos artigos, incluindo Linux e virtualização com VirtualBox.

World Cup 2014 – Consumidores cuidem-se!

Caros leitores, hoje foi publicado um post superinteressante no blog da RSA – Speaking Of Security, que trata do oportunismo dos criminosos virtuais em eventos com grande repercussão mundial. O intuito é apresentar uma cartilha com os principais truques e golpes aplicados pelos fraudadores e os cuidados que você consumidor deve ter ao procurar por serviços fornecidos através da internet.

Aqui vai uma pequena lista de recursos mais comuns do saco de fraudes:

  • Aplicativos falsos para tablets e smartphones

  • E-mails falsos (Phishing)

  • SMS’s falsos (Vishing)

  • Promoções ou sorteios falsos

  • Ingressos falsos

  • Resultados falsos em sites de busca

  • Softwares maliciosos (Malware)

O objetivo final é sempre o mesmo: furtar sua grana, te enganar!

Portanto, é preciso ficar atento e aplicar as melhores práticas de navegação e compra, procurar a procedência de um determinado fornecedor, ignorar e-mails de remetentes desconhecidos, trafegar informações sensíveis apenas em sites criptografados e garantidos por um cartório digital, desconfiar de promoções e etc.

Por fim, tome cuidado sem ficar paranoico e curta o evento.

Vamos BRASIL!!!

Para ver o post na integra, acesse: https://blogs.rsa.com/world-cup-2014-consumers-beware/

Por Luiz Henrique Borges

Vale a Pena Mapear Todos os Processos da Organização?

Um dos temas mais polêmicos quando falamos em projetos de modelagem de processos são os projetos cujo objetivo é mapear todos os processos da organização. Projetos desta natureza exigem um envolvimento global de toda a organização, pois dada a natureza dos processos de negócio, toda as áreas e papéis existentes terão que contribuir para o sucesso deste trabalho.

As empresas possuem dentro da sua operação algumas centenas de processos de negócio relevantes. O esforço para mapear tantos processos é enorme, exigindo via de regra algumas milhares de horas de trabalho.

Este esforço não se deve tanto à complexidade técnica do trabalho que tem a ser realizado, mas sim ao volume de processos que devem ser tratados. Como consequência, o projeto acaba envolvendo um número elevado de analistas de processos, muitas vezes até um número maior do que a empresa possui nos seus quadros, fazendo assim da terceirização um meio para viabilizar o trabalho.

Apesar deste número elevado de horas, este tipo de trabalho traz como resultado uma descrição em alto nível destes processos de negócio. Isso porque, se estes consultores precisassem detalhar a nível de procedimento em cada um dos processos, o esforço cresceria exponencialmente, tornando o projeto impraticável. Desta forma, o resultado de tamanho esforço é uma documentação ampla e organizada que mostra a estrutura e hierarquia de cada processo, mas sem entrar em detalhes sobre como são executados os procedimentos de suas atividades.

Com tantas pessoas envolvidas e tanto trabalho a cumprir, projetos desta natureza acabam sendo projetos caros. Não só pelas milhares de horas dos analistas de processos, mas também (e principalmente) pelo tempo demandado das áreas de negócio e por toda mobilização que acaba se fazendo necessária.

Tal mobilização acaba gerando enorme expectativa dentro da empresa: todos esperam que, ao final deste trabalho, a empresa terá um repositório com todos os seus processos e suas respectivas atividades. E é justamente na viabilidade em atender estas expectativas que está o maior desafio.

Processos de negócio são elementos vivos dentro das organizações: diariamente, surgem novas necessidades ou requisitos que exigem a sua adaptação. Quando os processos são modelados ou redesenhados de forma gradativa e planejada, a implantação de uma política de governança que garanta a atualização desta base torna-se natural. Os envolvidos nestes processos possivelmente participaram de toda uma estratégia de mobilização e discussão sobre os processos, sendo assim mais fácil obter o seu comprometimento. Contudo, quando todos os processos da organização são mapeados em poucos meses numa estratégia de documentação em série, a manutenção desta governança e a criação deste comprometimento torna-se muito mais difícil.

Desta forma, a pergunta que fica é: “Como fazer para garantir que, ao final do projeto, toda e qualquer MUDANÇA em QUALQUER PROCESSO será corretamente identificada, analisada e documentada no repositório de processos?

A viabilidade da organização em oferecer esta garantia acaba se tornando o ponto mais crítico de sucesso, uma vez que:

  1. Se a empresa não conseguir manter a base de processos atualizada, em pouco tempo existirão inúmeros processos desatualizados;
  2. Se houverem processos desatualizados, as áreas de negócio começarão a perceber que o repositório de processos não serve como base de consulta;
  3. Se o repositório não servir como repositório de consultas, ele deixará de ser utilizado.
  4. Se ele deixar de ser utilizado, toda a iniciativa cairá em descrédito.

É claro que projetos desta natureza podem trazer inúmeros benefícios, e que as empresas terminando estes projetos se conhecem muito melhor do que quando começaram. Contudo, é importante que as organizações tenham em mente que existe um limite de detalhamento que é passível de manutenção, e que elas não devem investir na criação de uma documentação que elas não conseguirão manter.

Por Fernando Marcos

Coursera coloca mais de 600 cursos no seu bolso, inclusive em português

Lançada em 2012, a Coursera, o Coursera é uma plataforma de ensino que realiza parcerias com as melhores universidades e instituições de ensino em todo o mundo, para oferecer cursos online e gratuitos a todos.

Trabalham para que no futuro, todos tenham acesso a uma educação de qualidade a nível mundial. Escolha entre mais de 400 cursos oferecidos pelas melhores instituições de ensino do mundo. Assista videoaulas, faça testes interativos, avalie o trabalho dos seus colegas e interaja com os demais alunos e professores. Conclua seu curso e receba reconhecimento por isso.

O Brasil é o terceiro maior mercado fora dos Estados Unidos e um dos que mais crescem, tendo os cursos de finanças e negócios como os mais procurados. Mais um estímulo para a Coursera continuar a investir na expansão do conteúdo em português.

Para mais informações acesse: https://www.coursera.org/

Como investir em sua carreira sem gastar muito ou quase nada e trabalhar ao mesmo tempo?

Por muitos anos, certificações em tecnologia da informação (TI) têm sido debatidas por profissionais da área. Alguns acreditam que elas são a chave para um emprego ou um salário melhor. Enquanto outros afirmam que elas só valem no papel.

A minha primeira dica é: Estude inglês, 99% dos melhores livros ou materiais técnicos que realmente irão lhe ensinar algo em TI estão na língua inglesa. Não se esqueça que o Google, falando do site, é a maior fonte de busca do mundo, tem muita coisa freeware, mas em inglês.

Outra dica são alguns sites que possuem certificações gratuitas. O Brasil Mais Ti (http://www.brasilmaisti.com.br/) conta com vários cursos gratuitos na área de TI, como Java, Cobol e .NET, todos com certificação reconhecida pelo Ministério da Educação e servem como carga horária extracurricular para cursos superiores de todo o Brasil.

Alguns fornecedores de TI oferecem recursos para certificação.Por exemplo, a Cisco oferece o Cisco Learning Network (https://learningnetwork.cisco.com/community/learning_center), a Microsoft oferece o TechNet (http://technet.microsoft.com/pt-br/ms376608.aspx) e o Microsoft Developer Network (http://msdn.microsoft.com/pt-br/dn308572.aspx), e o CWNP provê acesso a recursos de aprendizagem sobre Wi-Fi (http://www.cwnp.com/training/freeresources/).

Verizon – 2014 Data Breach Investigations Report


Quem é a Verizon?

A Verizon é uma holding norte-americana do setor de telecomunicações.

O que é o Data Breach Investigations Report?

O Data Breach Investigations Report é um relatório anual desenvolvido pela Verizon que contou com a contribuição de 50 organizações globais na edição 2014. O principal intuito é entregar ao mercado um retrato realista das principais ameaças cibernéticas ao longo do mundo com base em casos reais de violações.

O que temos para 2014?

Dados do relatório:

  • 50 organizações globais contribuíram
  • 1.367 brechas confirmadas
  • 63.437 incidentes de segurança
  • 95 países representados

Observou-se ao longo dos últimos 10 anos a incidência de 9 padrões de ataques que constituem 92% dos incidentes de segurança analisados. São eles:

  • Intrusões em pontos de vendas
  • Ataques em aplicações web
  • Ameaças internas e mau uso das informações
  • Roubos físicos e perdas
  • Erros diversos
  • Crimeware
  • Skimmers de cartões de pagamento
  • Espionagem
  • Negação de Serviços

Conclusão

As informações providas ao longo das 60 páginas do relatório original são de leitura obrigatória a todos da área de segurança da informação.

Para cada um dos 9 padrões de ataques pontuados anteriormente e tratados individualmente no relatório, há uma subseção denominada “Controles Recomendados” que é extremamente relevante para quem quer entender o que é necessário para tornar seguro o ambiente de TI da sua empresa.

Vale a pena ler o original!

Tudo que você precisa saber sobre o Bitcoin

O Bitcoin é uma moeda virtual criada para facilitar as transações feitas na internet. Através dela é possível comprar e vender sem a necessidade de fazer conversões ou se preocupar com taxas e impostos cobrados por bancos ou países. Apesar de polêmica e não reconhecida oficialmente pelos bancos mundiais, o Bitcoin tem se tornado cada vez mais popular. Conheça agora um pouco mais sobre a moeda:

– O Bitcoin foi criado em 2009 pelo japonês Satoshi Nakamoto.

– Apesar de existir um senso comum sobre o seu criador, Satoshi Nakamoto nunca foi visto ou se apresentou publicamente.

– Nakamoto  é o maior detentor de bitcoins do mundo, com cerca de 1 bilhão de dólares da moeda.

– Atualmente 1 Bitcoin custa pouco mais de 500 dólares americanos. Este valor já chegou próximo a 880 dólares.

– Em relação ao real, 1 Bitcoin custa R$ 1.170,00 reais.

– Países como China e Tailândia proíbem o uso de bitcoins.

– O vice-presidente da Fundação Bitcoin foi preso acusado de lavagem de dinheiro e de ligações com a rota da seda, lugar “obscuro” da internet onde acredtita-se que são negociadas, drogas, armas etc.

– A última pesquisa feita sobre Bitcoin no Brasil levantou que 27 estabelicimentos no país acietam BitCoin. A vantagem é fugir das taxas de bancos e operadoras de cartão.

– No total, são quase 3.000 estabelecimentos ao redor do mundo que aceitam a moeda.

– Mesmo sem registro legal no Brasil, transações via Bitcoin devem ser declaradas à Receita Federal

– O maior medo, acima mesmo do risco de fraude eltrônica, é o câmbio. 1 bitcoin já valeu US$ 0,01 em 2011 e já valeu também US$ 880.

– A MasterCard já se manifestou através de uma nota oficial dizendo que é contra o uso da Bitcoin até que a moeda seja regulamentada por algum órgão federal.

– Além do Bitcoin, estima-se que existam mais de 200 outras moedas virtuais em circulação no mundo.

– Uma das maiores preocupações de quem usa a moeda é a dificuldade de gerar novos bitcoins.

– Foi criaddo o Litecoin, que tem valor menor que o Bitcoin e deverá ser usado para pequenas transações.

– Já existem nos Estados Unidos alguns caixas eletrônicos de Bitcoins.

– Um bar em São Paulo possui o único caixa eletrônico de Bitcoins do Brasil.

– Quem estiver interessado em comprar Bitcoins pode fazer isto através de sites especializados. O maior do Brasil é o Mercado Bitcoin