By Salgado on 18th março

CEO


CEOs: Eles são como nós

Enquanto filmes e TV querem que nós acreditemos que altos executivos do mundo corporativo vivem de viagens em primeira classe, deslocamentos feitos em luxuosas limusines, refeições gourmet e guarda-roupas esportivos dignos da realeza britânica, a realidade para a maioria deles é muito menos extravagante. Um levantamento feito pela CareerBuilder mostra de perto como é a realidade destes profissionais.

Vestindo a peça

Apenas  1 em cada 5 executivos (20%) considera o terno o típico traje de suas posições. A maioria dos executivos (57%) trabalham com roupas casuais, enquanto 18% regularmente usam jeans ou shorts para trabalhar.

O preto é a cor preferida de 32% dos executivos, o que torna a escolha mais popular para este grupo. Azul marinho é a segunda cor mais popular usado por executivos (31%), seguido de cinza (10%).

Transporte

Não espere para ver o presidente-executivo circulando para cima e para baixo em um carro com motorista. A maioria dos executivos 79% usam um automóvel simples para trabalhar, 24% um SUV, 22% um sedan de porte médio e 10% um sedan de luxo.

Quase 1 em cada 5 executivos (18%) usam maneiras ecologicamente corretas de se locomover, com 9% deles optando pelo transporte público (ônibus ou trem), 4% utilizam veículos híbridos, 4% vão a pé, e 1% de bicicleta.

Comer e beber

No mundo que vemos na TV os CEOs sempre possuem uma garrafa de whisky na sala, mas a realidade não é bem assim.  Para se ter ideia, 62% dos executivos não bebem álcool nem mesmo nos happy ours das empresas. Em vez disso, eles optam por refrigerantes (23%), água (19%), café (13%) ou nada (7%). Já quem aceita uma dose, 13% dos executivos optam por uma cerveja ou vinho, enquanto 8% optam por outras bebidas.

Quando se trata de hábitos alimentares, quase metade dos executivos (42%) trazem o almoço de casa, enquanto 22% vão de fast food e 14% comem em restaurantes comuns. Já 10% dos executivos dizem que não costumam almoçar em um dia típico.

Destros e canhotos

Os destros superam canhotos por quase 7 a 1 (lembra alguma coisa?). Cerca de 80% destros, 13% canhotos e 8% são ambidestros.

Dedicação

Quando perguntado quantas horas eles trabalham em uma semana típica, 40 horas era o mínimo para a maioria dos “chefões”. Cinquenta e oito por cento dos executivos dizem que trabalham 40 a 49 horas por semana, e 32% trabalham 50 horas ou mais. Apenas alguns poucos (9%) dizem que trabalham menos de 40 horas por semana.

Emulando o CEO: Será que se comportar como um CEO pode te ajudar a se tornar um?

“Certamente, sua carreira é baseada principalmente em seu desempenho”, diz Rosemary Haefner, diretor de recursos humanos da CareerBuilder. “A forma como você se apresenta é para muitos um reflexo de como você leva a sério o seu trabalho.” Haefner oferece as seguintes dicas para se vestir – e se comportar – para o sucesso na carreira.

Siga o líder … O CEO e outros altos dirigentes devem definir o tom de como se comportar no local de trabalho, assim, ao olhar para eles saiba que segui-los poderá ajudar você a se tornar um líder também.

Seja a cara da empresa. Mesmo quando não está no escritório, CEOs e altos executivos são considerados a “cara” da empresa;  por isso, mesmo quando não está no trabalho, eles estão vivendo por valores que a empresa valoriza. Leve isso em consideração quando você do trabalho ou nas redes sociais. Lembre-se que você é uma representação da marca de sua empresa  e como você age reflete sobre ela.

Pergunte o que você quiser. Não espere de seu gerente que ele reconheça o seu potencial de liderança. Tome a iniciativa e pergunte a ele sobre assumir mais responsabilidades. Seja claro sobre seus objetivos de carreira e veja se vocês podem juntos para criar um plano claro para o futuro.

Metodologia da Pesquisa

Esta pesquisa foi realizada online dentro os EUA por Harris Poll, em nome da CareerBuilder entre 552 executivos  CEOs, CFOs, COOs e VP Senior com idades acima de 18 e mais (empregados em tempo integral, e não auto -empregadas, não-governamental) entre 04 de novembro e 02 de dezembro de 2014 (percentagens para algumas questões são baseadas em um subconjunto, com base em suas respostas a certas questões). Com um simples amostra probabilística de 552, pode-se dizer, com uma probabilidade de 95 por cento que os resultados globais têm uma margem de erro de +/- 4,17 pontos percentuais.

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *