By Salgado on 7th outubro

Meus amigos, no último dia 5 de outubro fez dois anos que Steve Jobs nos deixou. Entendo que eu eu deveria deixar registradas algumas palavras sobre esse homem que através de suas contribuições incrivelmente inovadoras e de seu espírito inventivo na área da tecnologia e da comunicação revolucionou, de forma irreversível, nosso cotidiano, nossas vidas, nossa forma de agir, de trabalhar, de comunicar, e até mesmo de nos divertir.

Quem de nós não parava ou se detinha para ler ou ouvir seus depoimentos, ou a reprodução de suas encantadoras apresentações e pronunciamentos sempre cercados de magia e de suspense? Quem de nós não tinha ou ainda não tem no topo de sua lista de objetos de desejo uma ou mais de suas criações maravilhosas? Ou será que deveríamos chamar de lindas? Ou quem sabe, até mesmo, de deliciosas?

Aspecto curioso de tudo isso é que ele conseguiu transformar em amor e desejo o respeito e até mesmo o “medo” e o distanciamento da grande legião de leigos em relação à tecnologia. E se nossos jovens, que já haviam nascido, engatinhado e crescido em meio às telas, botões e clicar de mouses, rapidamente substituíram seus “brinquedinhos” correntes por estas tecnologias que embarcavam recursos e facilidades bem mais poderosas, inovadoras, e por que não dizer, desafiadoras.

Entendo ser difícil definir ou dimensionar sua influência sobre nossas vidas, pois ela passa por uma significativa mudança de cultura, muito acima e muito mais forte do que a tecnologia e as inovações introduzidas com suas criações.

Com seu toque e visão criativos, Steve Jobs deu cor e beleza aos computadores até então de cor bege e tão pouco amigáveis e quase nada atraentes. Sua energia, sua paixão e seu brilhantismo foram a fonte de muitas inovações que enriqueceram e que melhoraram a vida de todos nós.

Eu não poderia deixar de incluir, em meio a estas palavras, uma figura muito significativa e marcante criada por um estudante de design de Hong Kong em homenagem ao fundador da Apple, e, sem dúvida, cercada de um simbolismo impressionante, singular.

E atualmente, quando olhamos ao redor e nos deparamos com expressões do gênero Web 2.0 e Enterprise 2.0, e do que elas significam ou dos conceitos que elas encerram, temos absoluta certeza de que voce, Steve Paul Jobs, teve uma influência e uma contribuição significativas para este grande salto em termos de benefícios, de agilidade, de flexibilidade, de produtividade e também de satisfação no seu uso e nas muitas interações.

Steve Jobs, voce deixa todo um legado de tecnologia para muitas gerações, e a repercussão e o significado disso em termos de funcionalidade e praticidade para o dia a dia das pessoas, das empresas, dos negócios. A partir disso e de seus muitos ensinamentos, pressinto um grande movimento que se inicia e que fará com que passemos a praticar e a exercitar em alto grau a filosofia, a atmosfera, o espírito (“ethos”) que bem definia suas iniciativas e suas atitudes à frente da Apple: “Think different”.

Creio que posso encerrar minhas palavras tomando para mim dois trechos utilizados por você em seu discurso na Universidade de Stanford; apenas dois trechos, mas que são de um significado muito forte, muito denso:

Death is very likely the single best invention of Life

It clears out the old to make way for the new

 A morte é muito provavelmente a melhor invenção da Vida; ela descarta o velho para abrir caminho para o novo. Pois é… mas a incontável legião de seus admiradores, na qual me incluo, com toda certeza vai seguir lembrando e sentindo muita falta do “old” !!!

Um abraço a todos e até a próxima.

Rui Natal

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *