By Salgado on 12th novembro

CEVIU-Debora1Nem sempre participar de várias etapas de um processo seletivo é sinônimo de sucesso no fim da caminhada. Foi o que aconteceu com a analista de sistemas Débora Bossois quando participou de uma seleção feita por uma das empresas mais admiradas do mundo, a Apple.

Débora formou-se e fez mestrado em processamento de linguagem natural quando então passou sete meses na Inglaterra estudando inglês. Ao voltar, conseguiu um emprego em Vitória mas continuava enviando seu currículo para diversas empresas. Foi quando se candidatou a uma vaga na Apple.

Após quatro meses desde o envio do currículo, Débora recebeu então uma resposta da Apple, agendando uma primeira entrevista por telefone. Durante 30 minutos respondeu uma série de perguntas em inglês e descobriu que a vaga estava ligada à versão do Siri em português. Pouco tempo depois Débora recebeu outro email da Apple dizendo que ela havia passado para a próxima etapa.

O que a analista de sistemas não contava era com a desorganização do processo seletivo de uma empresa como a Apple. Segundo Débora, depois de saber que havia passado para a próxima etapa ela não foi informada quando nem onde seria esta etapa. Além disso, a Apple ficava meses sem fazer contato, o que só aumentava a agonia de Débora. De acordo com ela, a empresa chegou a ficar 8 meses sem fazer contato e durante o processo seletivo ela fez duas entrevistas iguais onde até o entrevistador era o mesmo.

O caso de Débora aconteceu em 2011. Desde então, ela fez 14 entrevistas na Apple e não foi selecionada para a vaga. O Siri por sua vez, ainda não fala português.

Autor: Salgado / CEVIU

Com informações de Folha de S. Paulo

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *