By Salgado on 4th maio

sharedefault200x200O mundo da música online sofreu um baque no dia 30 de abril. Depois de quase 10 anos no ar, o Grooveshark acabou. Um dos mais populares serviços de compartilhamento e streaming de música do mundo encerrou suas atividades através de um comunicado publicado no seu site oficial.

Há seis anos atrás, gravadoras como Sony Music, Universal Musil e Warner Musci acionaram judicialmente o Grooveshark, alegando que o serviço distribuía ilegalmente as obras de milhares de artistas. Desde então, o serviço foi perdendo força nos tribunais, apesar do crescente número de usuários – mais de 35 milhões no dia em que saiu do ar. Em setembro do ano passado, Samuel Tarantino e Joshua Greenberg, fundadores do Grooveshark já haviam sido acusados por infração de direitos autorais, mas o serviço permaneceu no ar. Desta vez a pancada foi mais forte e a justiça considerou que o serviço distribuiu ilegalmente 4.907 músicas, fazendo com que o Groovshark tenha que pagar de multa US$ 100 mil por cada uma delas, o que totaliza 736 milhões de dólares em indenizações.

Com base no que foi determinado, a Escape Media, empresa responsável pelo Groovshark, viu-se obrigada a entrar em um acordo. Para não ter que pagar a multa multimilionária, o Grooveshark precisou ser encerrado, suas contas nas redes sociais deletadas, e publicar um pedido de desculpas que incluiu o incentivo ao consumo de música de forma legal.

E foi o que com muito pesar o Groovshark fez. Confira os trechos principais do anúncio oficial do encerramento de suas atividades:

Hoje estamos fechando o Grooveshark.

Nós começamos há quase dez anos com o objetivo de ajudar fãs a compartilhar e descobrir música. Mas, apesar das nossas melhores intenções, cometemos erros muito sérios. Falhamos em obter licenças dos detentores dos direitos da grande maioria das músicas oferecidas no serviço.

Isso não é correto. Pedimos desculpas. Sem reservas.

Hoje há centenas de serviços amigáveis e acessíveis para você escolher, incluindo Spotify, Deezer, Google Play, Beats Music, Rhapsody, Rdio, entre muitos outros.

Se você ama música e respeita artistas, compositores e todos que possibilitam grandes produções, use um serviço licenciado que compense artistas e outros detentores de direitos.

Autor: Salgado / CEVIU
Com informações de: Tecnoblog

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *