By Salgado on 27th março

“Estamos sofrendo este ciberataque por ao menos uma semana, mas estamos funcionando, não conseguiram nos derrubar. Nossos engenheiros estão fazendo um trabalho imenso em manter-nos de pé. Este tipo de ataque derruba praticamente qualquer coisa”. Esta é foi a declaração de Steve Linford, executivo-chefe da Spamhaus, empresa sem fins lucrativos com sedes na Inglaterra e na Suíça que combate o envio de mensagens de spam na internet.

“A Spamhaus esta abusando de seu poder, e não deveria ser autorizado a decidir o que acontece e o que não acontece na internet”. O responsável por esta afirmação é Seven Olaf Kamphuis, porta-voz da Cyberbynker, empresa holandesa de hospedagem de sites que, segundo seu slogan, diz que “hospeda tudo, menos pornografia infantil e conteúdo ligado ao terrorismo”.

As duas empresas são protagonistas do que é o maior ataque cibernético da história da internet. Tudo começou no dia 19 de março, quando a Spamhaus adicionou os servidores da Cyberbunker à sua black list e divulgou isso aos provedores de email que usam seus serviços. Desta forma, milhões de contas de email ao redor do mundo pararam de receber conteúdo enviado pelos servidores da Cyberbunker.

De acordo com relatórios publicados pela CloudFlare e também pela Akamai Networks, empresas que monitoram o tráfego da internet no mundo, o ataque DDoS (prática que aumenta consideravelmente o tráfego de requisições a um determinado alvo para que ele não suporte e saia do ar) contra a Spamhaus é o maior já registrado na história. Segundo eles, um ataque pesado na internet atinge patamares na casa dos 50 Gigabits por segundo e o ataque que a Spamhaus tem sofrido tem tido picos de 300 Gigabits por segundo.

Apesar de não assumir o ataque, a relação entre Cyberbunker e Spamhaus deixam poucas dúvidas sobre o motivo do ataque. O ataque é tão grande que serviços como o Netflix já detectaram problemas no seu sistema. Segundo o executivo da Spamhaus, o ataque que a empresa vem sofrendo seria o suficiente para derrubar completamente a internet em diversos países.

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *