By Salgado on 2nd julho

uber-logo-transparentApós a aprovação do projeto de lei que proíbe o funcionamento do Uber em São Paulo, a Câmara Municipal da cidade anunciou uma medida polêmica. Segundo o secretário de transportes Jilmar Tatto, serão criadas armadilhas para apreender em flagrante os carros do Uber que circulam pela capital.

Com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil Metropolitana, a secretaria de transportes de São Paulo atuará no aplicativo fazendo chamadas como se fossem usuários comuns. Quando o carro prestador de serviços chegar, será apreendido em flagrante pela polícia ou guarda civil. Segundo Tatto, os táxis já são os detentores do monopólio de serviço individual de transporte remunerado e por conta disso não é necessário sequer esperar que o projeto vire lei para que as ações contra o aplicativo aconteçam.

Na noite da última terça-feira (30) os vereadores de São Paulo aprovaram o projeto de lei 349/2014 que proíbe o transporte remunerado de pessoas por meio de carros particulares cadastrados em aplicativos. Ou seja, exatamente o que o Uber oferece. Para que se torne lei, o projeto ainda precisa passar por uma segunda votação e no final ser sancionado pelo prefeito Fernando Haddad.

Autor: Salgado / CEVIU

There are no comments yet.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *